terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Oração


Tumblr_mckmkue7vu1qb5d33o1_500_large

E é tanta coisa transbordando, é tanto sentimento vomitado, tanta coisa remexida dentro de mim. É um caos, uma balbúrdia, um frio-calor que permanece nas entranhas. Um nó na garganta que não sabe se desce ou sobe de vez. É o visceral que se expõe e se sacraliza. É o denso que flutua, a pena que pesa feito pedra. Pedra a ser moldada, esculpida. Forma perfeita e rígida que vem a se desmanchar com o tempo. Palavras são assim, tanto singelas quanto malvadas. Delicadas feito perfume-de-flor-de-primavera, escuras e perversas como tempestades-de-raios-e-trovões. Elas que tudo nos permitem e quase tudo podem expressar. Digo quase tudo porque há coisas que nem mesmo o mais magnificente dos versos jamais revelaria. É como se houvesse um bicho pulsante dentro de nós, algo que não vê a hora de explodir. Um pássaro que ousa levantar voo a qualquer custo, ainda que não o tenha aprendido. É desespero em abrir uma porta ou janela que nos leve a algum lugar. Lugar este que venha a ser seguro, ou não. Lugar em que se possa plantar a semente de uma liberdade ideal. De um grito, de um pedido de socorro, de olhos de súplica. Da necessidade de viver mais e mais, de viver ferozmente. Viver sem temor, e temer o medo. E temer o que retrai, o que limita. E desejar a luz, nem que só por uma fresta. Um pequeno rombo de esperança que traga sorrisos e sonhos. E que cresça, a cada dia. Que se torne grande a ponto de estourar e atingir o mundo. Que não haja motivo para dor. E, se houver, que haja boas almas para salvarem as que padecem. E se eu tiver direito a mais um desejo, que seja a vontade de que tudo isso saia da utopia e venha para o real e concreto. Que a poesia e o pretender-fazer-o-bem nunca morram.  Amém.

sábado, 1 de dezembro de 2012

Adultos


Às vezes parece que simplesmente não conseguimos entender as coisas que os adultos dizem. Ou unicamente não acreditamos, ou não queremos fazê-lo. São tão frios, tão amargos. Creio que já pela densa carga de decepções ao longo da vida. Um dia, eles já foram como nós. Já tiveram sonhos revolucionários e lutaram por um mundo melhor. Eles construíram o que somos hoje, e apenas nós temos o poder de mudar o amanhã. Olhares tão cansados, com uma desesperança pulsante. Olhares que clamam pelo resgate de sua fé que há muito foi morta. Eles, que por vezes precisam desistir de algo que amam por algo que quiçá lhes pareça deveras necessário. Eles que já não têm a emoção tão à flor da pele quanto nós, jovens, poços de hormônios, crises e indignações absurdas. Eles que tiveram seu tempo, e hoje correm contra este. Não pensem, porventura, que jogamos ao léu o ideal que um dia tiveram. Somos metamorfoses. Ajuizamos diferentes, desejamos algo ainda desconhecido. E batalhamos sim por um objetivo, ainda que no silêncio. Mesmo sem transparecer, por muitas vezes, nossas mentes fervem em pensamentos e devaneios. Choramos, gritamos, brigamos. Damos alma e suor, embora um tanto quanto anônimos. Temos corações de líderes, acreditem. Porém, também não pensem que somos o fervor da revolução. Há igualmente cabeças vazias que nada querem, que nada pedem. Que aceitam o que lhes é dado sem questionar; e isto não admito. Como negar um direito que é nosso de reivindicar? Como esquecer de todo o passado árduo que tanto sangue pôs ao chão? O tempo é nosso, nós que o fazemos. Está tudo em nossas mãos e cabe a nós a responsabilidade de saber lidar com o futuro que nos aguarda. Desejo eu que haja empenho por parte dessa geração que pressagia o que há de vir, e que deve honrar o que ficou para trás. Quimeras, batalhas, glórias: que nada tenha sido em vão. 

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Armadura


6b97351829d640c853a85be6875ce888-phmfg5_largePor que tem de ser sempre assim? Pessoas vêm e vão... Será que tenho cara de aeroporto, rodoviária, estação de trem ou coisa parecida? Estou cansada de chegadas e partidas. Quero alguém que, entre tantos destinos, escolha ficar. Não quero mais ser apenas um ponto de parada na vida das pessoas. Cansei da diversão. Ser passatempo não dá mais. Por acaso está escrito ‘brinquedo’ no meio da minha testa e eu ainda não percebi? Eu só queria uma segurança. Eu queria um dia acordar e saber que haveria alguém para me apoiar, alguém disposto a me ouvir, e me fazer dar risada até das piores coisas da vida. É tudo tão superficial, tão ‘estou vivendo agora e não quero lembrar-me de você depois’. Isso tudo é medo do sentimento? É medo de se deixar pertencer a alguém? Porque é isso que acontece quando você se apega. Quando você se entrega de corpo e alma, sem pensar nas consequências. Burra, por que tão irracional? Para de agir com esse coração e deixa o cérebro lhe dominar. Será que você não cansa de apanhar? E toda vez, você diz que vai ser diferente. Acha que está bem, e que, quando acabar, não vai sofrer. Mas sempre sofre, porque é idiota demais. Porque espera demais de quem não tem nada a oferecer. Não sei, mas talvez eu tenha que arranjar uma armadura melhor. Que me proteja dos sorrisos e que me livre de pessoas que vêm para depois partir. Acho que isso tudo é medo de crescer... Temo deixar para trás as regalias e os bons amigos que fiz. Afinal, o mundo é cruel, e a distância faz questão de nos arrancar aqueles a quem amamos. E eu sinto falta daqueles sorrisos sinceros, dos abraços carinhosos, das brincadeiras inocentes, do andar de mãos dadas, das bobeiras faladas sem pensar. Ah, tempo que não volta. Ah, tempo que me machuca! Leva embora essa saudade e traz de volta os bons momentos, que não aguento mais a amargura da solidão. 

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Sobre ‘Diários de Motocicleta’

Ernesto Rafael ‘Che’ Guevara de La Serna. Antes de assistir a esse filme e conhecer um pouco de sua trajetória, eu acreditava ser só mais um nome na História. Porém, tive a grande oportunidade de descobrir a grande pessoa que ele foi e apaixonar-me por ele. Ser humano de coragem, guerreiro. Além de lutar pela libertação da América, lutou, acima de tudo, pela vida dos homens. Lutou por um mundo melhor para se viver, com menos desigualdades e mais justiça. Não foi apenas mais um idealista, e sim alguém que fez questão de disseminar e por em prática suas crenças. Emociona-me a maneira como Che deu de si, mesmo diante de tantas adversidades, para cuidar dos outros. O quanto se dedicou a um povo que apenas se assemelhava a ele pelo sangue latino que corria em suas veias. E isso me faz refletir sobre algo: por que os bons morrem cedo? Por que o mundo é tão cruel e miserável? Quando essas vendas malditas irão cair, e as pessoas começarão a se preocupar com o que realmente importa? Andamos precisando de mais pessoas assim, que se doem e se dediquem a um ideal. Que não tenham medo de dar a cara à tapa e enfrentar um sistema que nos sufoca e nos controla. Pessoas como Che, que, ao invés de permanecerem caladas diante dos problemas, enfrentem-nos. A cada dia, me impressiona mais o individualismo e a falta de compaixão dos que me rodeiam. Assistir a uma obra como essa me faz crer no quanto a humanidade clama por socorro, e ninguém ouve. Diante disso, desperta em mim também uma chama de espírito revolucionário. Afinal, como pregava o grande mestre, ‘ser jovem e não ser revolucionário é uma contradição genética’. Como dizia também, ‘o verdadeiro revolucionário é movido por grandes sentimentos de amor’, e é esse amor pela alma humana que me move, que me faz levantar-me da cama todos os dias. É esse amor que me faz acreditar num futuro melhor, num mundo mais digno, justo e igualitário. Por favor, que haja mais fé no amanhã. Que haja mais gente querendo construir do que destruir. Que haja mais amor, mais paz, mais sossego. Que haja compaixão e bondade, ao invés de discórdias e guerras. Que haja orgulho dessa grande América de mil etnias, culturas, sorrisos e dores, que se convertem em um só coração latino e lutador.

“Este não é o relato de ações impressionantes. É um pedaço de duas vidas tomadas em um momento que cursaram juntas um determinado trecho, com identidade de aspirações e conjunção de sonhos. Foi nossa visão muito estreita, muito parcial, muito apressada? Foram nossas conclusões muito rígidas? Talvez. Mas este vagar sem rumo pela nossa imensa América me mudou mais do que pensei. Eu já não sou eu. Pelo menos, já não sou mais o mesmo em meu interior.”

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Reflexos


Tumblr_lomh59emxa1qhb2gho1_500_large
‘Será que ao menos uma vez na vida você pode fazer as coisas do jeito certo?’, disse-me minha mãe esta noite. Depois ainda me perguntam por que é que eu sou tão amarga assim. Eu sou o reflexo de tudo o que vocês fizeram comigo. Sou reflexo das grosserias e decepções da vida. Sou reflexo da falta de compreensão e carinho. Sou sonhos destruídos, sou tortura da alma. Sou janela que não se abre, porta entreaberta que não ousa dar espaço para ninguém passar. Sou campo vazio, coberto por pedregulhos. Esperando que alguém o limpe e o faça florescer. Sou sim, dependente de abraços. Sou carente, não sei ser só. Mas a cada dia, tenho me habituado mais à situação de ser assim, triste, oca. Tão cheia de sentimentos, e sem podê-los expressar. É que ninguém entende como é ser tão intensa. É por esse motivo que às vezes penso que não pertenço a esse lugar. Esse egocentrismo desmedido me magoa profundamente. Esses apertos de mãos falsos que secretam punhais prontos para golpear. A verdade é que estamos todos perdidos. E, no meio dessa guerra de crenças e opiniões, ninguém está disposto a se importar com a dor do outro. É um mundo torto, vil, sem escrúpulos. É a luta pela sobrevivência moral e intelectual. Por aqui, mais importante é aquele que tem. Ser não é nada. Ser se esconde entre as brechas do que o dinheiro pode comprar. Entre sorrisos falsos e máscaras, eu continuo andando, sem saber para onde ir. Talvez ainda me reste algum tempo para pensar sobre o que fazer. Desde já, peço desculpas pelo que não sou, e tento crer que dias melhores virão, apesar das nuvens escuras e das lágrimas que insistem em cair.    

domingo, 14 de outubro de 2012

Tristezas


Deve ser triste ser só. Acordar e não ter ao lado um corpo quente, alguém com quem partilhar alegrias e dores. Deve ser triste, ao logo do dia, não ter em quem pensar, além de si. E, ao cair da noite, apenas o reflexo de um rosto cansado no espelho. A solidão, na verdade, nos traz liberdade, nos faz ganhar o mundo. Não há sequer alguém que lhe prenda ou corte suas asas; não há gaiola que lhe aprisione. Existe uma voz interna que grita emoções, mas ninguém a ouve. Afinal, o eco é tão monótono! O subconsciente esmurra ferozmente as paredes do quarto, as paredes da mente. Quer fugir, quer interagir. Para onde? Com quem? Isolou-se, trancou-se em seu próprio universo, e se recusou a ver a luz. Não quero ser assim, sozinha, triste, amarga, dona da verdade. Anseio por contemplar a beleza dos dias com um farto sorriso. Ter olhos fotográficos para as memórias que conhecerei. Apreciar cada gosto e cada aroma. E nunca, nunca deixar que digam o que devo fazer. Nunca permitir que o abismo da solidão roube de mim o sonho de ser quem sou.  

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Vendas


Tumblr_ll7wn4u5wq1qez80eo1_r1_500_largeSomos tão fúteis, tão egoístas. Farinha pouca, meu pirão primeiro. Todos se importam apenas com seus problemas, seus próprios umbigos. Muitos morrem de fome enquanto outros reclamam de barriga cheia da comida que dizem ser ruim. É tanta hipocrisia, tanta maldade, tanta individualidade e tanta corrupção. E qual é mesmo a necessidade humana? O que, de fato, é estritamente importante? Pão e água? E nem isso lhes dispõem. Lazer e cultura são luxos para aqueles que detêm o poder. E os outros - pobres miseráveis! - que se danem. É muito cômoda a situação de serem favorecidos em praticamente todos os aspectos da vida. Para que questionar? É tão mais fácil colocar a culpa no outro; jogar a peteca para o governo. E esse sistema podre, quem é que compõe? E esses políticos-pinóquios, quem é que escolhe? Estão sempre aptos a julgar, mas nunca a agir. Já que não os incomoda, para que se importar? Tudo isso só vai mudar quando o problema de um se tornar um problema de todos; quando o mundo deles invadir o nosso, e quando eles dominarem e matarem o que é seu. Nossa cegueira social só se extinguirá a partir do momento em que a fome, a violência e o desespero forem também a nossa dor, o nosso calo. Uma providência só será tomada quando roubarem nossos carros, nossas casas e nossas vidas. Por enquanto, mantenham todos suas vendas: o espetáculo do horror, ao qual assistimos a de camarote, ainda não acabou.   

Manchas

          O relógio marca uma hora. No telhado, ouço o barulho da dança dos pingos de chuva. Na mesa, a caneca com o café já frio. Nas mãos, livros, cadernos e canetas. No pensamento, ideias mil e umas. Festa, amigos, novo caso. Vestibular, vida. O soldado que nasceu errado. A essência de tudo, onde está? A vontade, a coragem, a esperança. O grito de guerra pela paz trancafiado na garganta. 
          Minha mãe se remexe na cama; meus sentimentos se remexem em meu coração. E na cabeça, tudo é um nó malfeito a ser desfeito ou refeito. Onde vou parar? Não sei. Só sei que sonho demais. O azul de minhas unhas refletem a expectativa e o cansaço em meus olhos. Que sentido faz? Não desisto. Emoções se derramam como as gotas que agora escorrem pelo vidro das janelas. Elas vêm e vão? Tudo para ou segue? Busco em algum espelho minha face que se perdeu. Ou quem sabe ainda nem a conheci. Adeus, adeus. O gole de café já mancha minha roupa. 

sábado, 4 de agosto de 2012

Mimos


Tumblr_m88nvtahgk1qiq9euo1_500_large

          Olha, eu sei que já tá tarde, que você tá doente, mas é que eu acabei de ler seu sms, e me deu uma vontade tão grande de lhe escrever! É que adoro tanto quando você se preocupa, quando você se lembra de mim. Não sei se você sabe, mas eu penso em você todos os dias. Sempre que nos falamos, tenho vontade de saber como anda a sua vida amorosa, se está com outra... Perdoe-me, sou tão boba. É que eu nunca lhe esqueci, de verdade. E me sinto tão fraquinha por isso!
          Sinto-me tão frágil ao lembrar-me de como era feliz e bem protegida quando estava em seus braços. Às vezes eu queria saber se você sente falta do meu corpo e dos meus beijos, assim como sinto dos seus. Queria saber se você pensa em voltar; porque eu, bom, eu lhe espero todos os dias. Desejo ter o seu sorriso de novo, suas mãos me acariciando, seus olhos em mim, e em mais ninguém. Seu jeito de sussurrar baixinho que tudo vai ficar bem. Sua fala otimista, sua mania de ser meu porto seguro.
          Desculpa por eu ser assim, tão adulta e tão criança? Tanto tempo já passou, e eu ainda não deixei de ser a sua menininha mimada. E você, mais do que nunca, é agora o meu homem. É aquele com quem sonhei compartilhar o resto de minha vida, ainda que no meio de algumas adversidades. Amor, pensa com carinho em nós, tá? Eu sei, esse é só mais um desabafo, uma carta de amor. Mas sei também que aí, em algum lugar desse coraçãozinho que eu tanto conheço, há uma parte de mim, e algo me diz que ela é boa.
          Não leve tão a sério o fato de eu às vezes parecer uma tola. Só nunca se esqueça do quanto eu amo você, e do quanto lhe quero bem, feliz, sorrindo. E eu gostaria, sim, de ser o motivo dessa alegria. Pela milésima vez, peço-lhe: volta! Volta que eu lhe cuido, dou colo, faço cafuné. E se eu puder... Prometo que hei de lhe fazer o homem mais feliz desse mundo. Tenha a certeza de que eu faria o possível e o impossível por nós; eu faria tudo outra vez.
          E não importa quanto tempo passe, saiba que uma parte de você vai sempre morar em mim, meu príncipe. Ah! Eu até já sei o que você vai dizer: 'poxa, branquela, de onde você tira essas coisas tão lindas?'. Eu só queria lhe dizer, meu amor, que minha inspiração foi, é, e sempre será você. Ainda que existam obstáculos, mesmo algumas promessas tendo sido desfeitas, eu nunca deixei - e nem vou deixar - de acreditar nesse amor; nunca colocarei ponto final na nossa história. Três anos se passaram, e as minhas melhores recordações me remetem a você.
          Dizem que somos novos, e que ainda temos muito que viver. E se a gente não der certo, saiba que as minhas lembranças de nós serão as melhores possíveis. Memórias de um tempo em que eu era simples e puramente amada. Tempo em que não havia mágoa ou rancor; só a certeza de estar ao lado da pessoa que mais me ensinou sobre essa louca aventura que é a vida. Querido, entre tantos outros caminhos, eu escolhi segurar a sua mão e seguir com você, pois só assim me sinto em paz. Salve sua princesa, e nosso conto de fadas então terá final feliz.

"Vê se fica bem, meu bem. Vê se dorme bem, meu bem. Pois não estarei pra te cuidar, nem pra te mimar. Vê se fica bem, meu bem. Vê se come bem, meu bem. Pois não estarei pra te cuidar, nem pra te salvar..."

Atenciosamente, sua eterna namorada.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Alternância

          'Se você é um pássaro, eu sou um pássaro!', diz um casal apaixonado. E quem diria que, um dia, esse casal fomos nós? A vida me dá muito medo por ser uma grande incerteza. Além de lidar com os nossos sentimentos, temos que lidar com os sentimentos dos outros. É meio difícil isso. E, infelizmente, alguém sempre sai magoado. A gente não pode ser feliz sempre, não pode agradar sempre. Nosso coração é traiçoeiro. Nossos sentimentos nos enganam constantemente. Ora felizes, ora tristes. Ora radiantes e ora cinzas. É triste quando a 'mocinha' fica dividida, e tem de escolher entre seguir o caminho 'certo ou errado'. É triste quando existe aquele amor arrebatador que você nunca vai esquecer, contra aquele amor que você constrói, e é verdadeiro também. 
          Tenho medo de abafar o que diz o coração na busca de algo prático e cômodo, e condicionar minha ideia de felicidade àquilo. E ser, de fato, feliz com aquela situação, mas sempre pensar em como seria se tivesse sido diferente. Depois desses longos dois anos, eu aprendi que é necessário viver sem você. Mesmo sabendo que, no fundo, eu ainda lhe espero. Às vezes eu ainda penso nas nossas tardes de verão. Ah, e como eu queria que o nosso amor tivesse durado além daquilo. Como eu queria estar contigo hoje... Mas sei que isso não é possível, amor. Então, decidi seguir em frente, mesmo não lhe tendo ao lado meu. 
          Eu tenho um novo namorado, sabe? E bem, ele não é como você, nem nunca vai ser. Ele é atencioso, carinhoso, cuida de mim e se preocupa comigo. Não que você não tenha sido assim... Afinal, eu bem conheço seu jeito. É exagero dizer que, com todas as nossas particularidades, fomos feitos um para o outro? Não é minha intenção, também, comparar flores e declarações de amor. Eu apenas queria que soubesse que estou bem. Na verdade, isso é mais um desabafo. Eu gosto dele, sim. Mas acho que nunca mais vou amar alguém como amei você. E tenho medo de seguir demais a razão, enquanto que meu coração só grita por seu nome. Eu só queria ter um pouquinho de paz, no meio de toda essa confusão. Será que é pedir demais? 
          Já que não tenho o seu colo, tive de buscar em outros abraços um motivo para sorrir. Não sei como vai ser daqui para frente. Assusta-me o fato de tê-lo longe. Mas creio que se tivermos que ficar juntos, um dia há de ser. Portanto, deixo aqui explícito o direito que meu coração tem de se alegrar mais uma vez. Estou me permitindo... E que seja bom, e que seja intenso. E talvez, quem sabe um dia, seremos só você e eu.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Tantinho

Tumblr_m6k6w9a00u1ruvvsdo1_500_large
Pegar essa merda de sentimento e jogar no lixo. Só. Às vezes tenho a leve impressão de que tu não se importas nem um pouco que seja… Chego a pensar que nada valeu à pena. Na verdade, tenho é pena de ti. Que deixaste que abalassem o mais belo amor que um dia te ofereci. Tornei-me tão fria que nem consigo me lembrar de qual era a sensação de estar em teus braços. Uma estátua de gelo. Olha só no que tu me transformaste. Tu? Eu, na verdade. Eu que me entreguei cegamente. Eu que fui tola o suficiente para confiar em ti. Guri, como tu és grotesco. Como eu pude um dia me apaixonar por ti? Como eu pude permitir ter o meu coração roubado por um sujeito assim? Mas é isso mesmo, a gente não escolhe. A gente deixa a emoção estúpida dominar e fazer da nossa vida um caos. Sabe, toda dia eu ainda espero tu voltares. Eu me lembro de quando tu me abraçavas e desejo a tua presença constante. Por que, por que tem de ser assim, meu Deus? Às vezes eu não queria ter de sentir tua falta. Eu não queria que cada parte do meu corpo implorasse por ti. Mas sou sempre tão ingênua, tão tua. E eu daria qualquer coisa para estar contigo novamente, eu daria qualquer coisa pra ver o teu sorriso. Diz que volta, amor? Por favor? Presenteia-me com um tantinho desse teu olhar que tão bem me faz. Chama-me de tua princesa e me faz viver sonhando acordada… Agora, depois, e pela eternidade, seja lá quanto tempo ela dure para nós. 

domingo, 1 de julho de 2012

Incurável


E quanto mais eu tento me encontrar, mais é que me perco. Um lugar seguro parece-me cada vez mais distante. Por quê? Estou sendo forte demais em suportar tudo isso. Eu tento me reconstruir, mas cada dia tenho mais medo. Temo que o mundo lá fora cause-me mais arranhões e fraturas. Ferimentos incuráveis. Cicatrizam, mas doem pela eternidade. Um latejar constante de incerteza. Um sangue que pulsa num misto de ódio, saudade, amor. Por que tanta ilusão? Por que fugir, quando se quer ficar? Se tem algum lugar para onde você deva correr, espero que este abrigo sejam meus abraços. Não sei mais o que fazer, o que pensar, o que dizer. É tanto vazio que não dá pra preencher. Eu sei, não seria tão difícil se eu não pudesse enfrentá-lo… O que quer que isto seja. Cada dia mais firme num propósito de deixar que o tempo me leve para onde devo ir. E que os espinhos no caminho façam-me chegar ao jardim de rosas que tanto ansiei.

sábado, 2 de junho de 2012

Biologia


Tumblr_m4j1fjbnjz1qkgijro1_500_large

E a gente acaba se acostumando a viver sem o que não tem. É biológico, é inerente ao homem. É como se você nascesse sem - ou perdesse - um braço, uma perna. Com os sentimentos também é assim. Às vezes, a gente tem que aprender a viver sem o amor. Muitos nunca o tiveram; outros, tiveram-no e o perderam. Não há maior dor. É como se, literalmente, arrancassem uma parte de nós. Você sente muita falta, sim. Mas um dia você vai olhar ao redor e perceber que pode - e deve - viver sem aquele alguém que, durante muito tempo, foi de essencial importância para você. E olha, não é questão de esquecer… Porque lá no fundo, mesmo sem querer, a gente sempre lembra. Na natureza, nada se perde; tudo se transforma. Vai, pega esse amor e transforma em uma lembrança boa. Pega esse fantasma do sue passado que lhe assombra e guarda num lugar onde você não precise e nem possa mexer. Não é saudável. Agora segue sua vida, que o mundo não para por você. E as flores lá fora sorriem esperando você chegar…

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Ilogismo


Se é isto que chamam de crescer, digo que não quero. Ser adulto então é tornar-se amargo? Sem sonhos, sem riso, sem nada. Apenas seguindo um foco, uma reta, um objetivo que leva a lugar nenhum. Uma lógica ilógica que nos torna cada dia mais frios. Eu acredito no sonho, sim. E por mais realista que eu tenha me tornado, não quero nunca perder a ternura e a doçura da meninice. Acho que vai de cada um. sabe? Afinal, somos nós quem decidimos o que somos e o que queremos. Somos nós os escritores da nossa história. Portanto, não me force a ser como você. Não me corrompa a este estado de repouso eterno que só faz entristecer. Temos valores distintos, convicções totalmente contrárias… E eu ainda prefiro o meu riso solto a seu humor adulto. E acredite, felicidade vai além das suas quatro paredes e seu mundinho particular.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

2-litros-de-amor

Tumblr_m3mdb7xtkc1rv1zl7o1_400_largeNão entendo por que você ainda mexe tanto comigo. Tem noção de tudo o que construímos juntos, amor? Ontem, em seus braços, senti-me tão viva, tão sua... E não há um só ressentimento meu que o seu sorriso não cure. Por que você insiste em sumir e me deixar aqui sozinha, sentindo falta do seu carinho? Não deixe que dessa vez as coisas ocorram como antes. Aproveita todo o amor que eu tenho para lhe dar. Não me deixe esperar por você, novamente. Cadê os dois litros de amor que me prometeu? Quero desfrutar de cada gota, cada segundo. Deixa a brincadeira de lado e vem ser só meu. Não sei como anda a sua vida, seu coração... Mas toda vez que lhe vejo, você me faz crer que é ao seu lado onde quero estar. Esquece os ciúmes, vamos botar o orgulho de lado e deixar a razão para lá. Acabou o joguinho de quem é mais durão, ou quem corre mais atrás. Vem ficar abraçadinho, vem. Fazer parte do meu mundo, como eu sempre quis. Eu sei que nada foi em vão... Deixa eu sussurrar no seu ouvido o quanto amo você e o quão importante e especial você é para mim. Quero todos os dias poder lhe ver sorrir. Sentir seu corpo no meu, sentir seu cheiro... A forma como nossas mãos se entrelaçariam. E então, vai me fazer de passatempo mais uma vez? Não deixe que eu me vá, pois pode ser que eu não retorne. Dois anos se passaram, e a vida nos deu mais uma chance, menino. Vai permitir que eu divida o brilho dos meus olhos com os seus? 

terça-feira, 1 de maio de 2012

Afinal

          A vida é, afinal, uma consequência filha da puta. Todos os nossos atos geram consequências, que geram consequências e consequências... Às vezes, é tudo tão rápido que não nos damos conta disso. Estamos sempre cansados demais para pensar, e vamos acumulando problemas, mágoas e frustrações, tornando-nos cada dia mais frios e infelizes. Sábios aqueles bem-resolvidos, de bem com a vida... Que, cá para nós, não creio que sejam tão plenos assim. Pode até ser pessimismo meu, mas, nesse mundo caótico em que vivemos, fica difícil de acreditar em todos os sorrisos radiantes, em meio a mil máscaras perversas prontas para cair.
          Porém, ainda tenho fé na revolução das almas. No dia em que todos deixarão entrar em seus corpos e mentes toda a paz necessária à vida... Espíritos leves e alegres, que distribuem simpatia por onde passam. Porque, de fato, o mau humor contagia, e torna-se uma epidemia a ponto de explodir o mundo.

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Tempo

Sei lá... Bateu uma alegria no coração. Uma vontade de sorrir. Gritar para o mundo que a felicidade é pouca, mas que vale, e muito. Agradecer a cada um de vocês que faz parte dessa coisa louca que eu chamo de vida. Um motivo especial? Sim, estou aqui, hoje. Sorrindo, falando besteira, divertindo-me sozinha. Lembrando que, mesmo longe, eu tenho os tesouros mais preciosos do mundo. Ainda tento entender o porquê de estarmos aqui. Surpreendo-me todo dia com a beleza louca desse mundão. O sol que sorri e a lua que irradia, sem se importarem se há um público a observar. Uma florzinha que desabrocha tímida... E depois se torna aquela que rouba todas as atenções. Reclamo muito, eu sei. Drama é meu apelido, e preguiça, meu segundo nome. Às vezes dá uma tristeza, não é? Então eu me lembro de tudo de bom que já vivi. De todas as pessoas lindas que conheci, e daquelas que ainda esperam por mim. Lembro-me de como tenho sorte, em todos os aspectos. E por mais que às vezes existam dias cinzas, há sempre aquele pássaro colorido que aparece para você. E lhe faz cantar sem motivo, correr, pular... Que coisa incrível é essa vida, não? Insana. Serelepe. Curiosa. Parece uma menininha a brincar no jardim. Eu era assim, risonha, faladeira. Que orgulho que tenho de ser quem sou. Orgulho que tenho de meus amigos, a família que escolhi. Enquanto o tempo corre, vou me encantando ainda mais pelo mistério de viver. Guardando na caixinha da memória o delicioso enigma de poder ser.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Sua

Não sei mais o que acontece comigo ou com o mundo. Será que um dia alguém descobrirá? Às vezes sinto que não sou daqui… Às vezes sinto-me tão sua. Eu não sei ao certo como explicar. Só queria ter a certeza de que você, de algum modo, também se sente assim. Será que fomos mesmo feito um para o outro? Será que existe no universo algum ser assim? Você realmente acredita quando eu digo que você se encaixa perfeitamente a mim? Eu ouço o vento lá fora, e ele me diz para seguir em frente. Não sei mais se sou razão ou emoção. Não sei se choro de saudade, ou se apenas para tentar expulsar o vazio de dentro de mim. Derramo em minha roupa - sim, aquela que você adorava - uma xícara de café frio. Só você me acha bonita assim, estranha como sou. Assisti a um filme, imaginando como seria se você estivesse ao meu lado. Eu me abraçaria ao seu corpo com toda força e ternura… Eu derramaria lágrimas de alegria, enquanto você diria:‘não precisa chorar, minha princesa. Eu te amo e estou aqui com você’. Pararíamos no meio do filme e nos amaríamos. Sempre foi assim, lembra? Depois, nos olharíamos com um doce sorriso de canto, transbordando o sentimento de termos sido as duas pessoas mais felizes do mundo. Você acreditava em mim quando eu dizia que nunca lhe abandonaria? Pois eu estou aqui, meu amor. Faça-me acreditar que ainda existe um futuro para nós dois. Prove-me que nada foi em vão, e que os erros e a distância só serviram para nos ensinar o que é o amor. Faça-me crer naquilo que ninguém vê… Mas eu sei, nós sentimos. Quero estar com você num momento chamado eterno. Torne meu sonho realidade… Você sabe que não é tão difícil assim. Tenha fé, pois é assim que o amor nos move a ser: persistentes. Eu sei que o que sentimos é algo puro, que ninguém pode compreender, que o tempo não consegue mudar… E olha, eu guardo comigo cada memória. Cada andar de mãos dadas; a forma como seus dedos se entrelaçavam nos meus. Seus abraços, seus beijos… O vento a ressoar pelas folhas, tocando nossa canção de amor. Seus sorrisos, seu olhares. Seu toque que me arrepiava todo o corpo. Seu jeito durão de dizer que me amava, e de como queria cuidar de mim. Os medos, as frustrações, os perigos e aventuras. Seu casaco e seu boné preferidos ainda estão guardados no meu armário, sabia? A blusa do seu time que eu odeio, também. Com quem seria, se não com você?Como esquecer da chuva abençoando o nosso amor? Ecos de dois corações que palpitavam sem parar. Me diz, quem além de mim te deixa sem fôlego? Quem além de você para me ninar… E que venham nossos filhos inteligentes, nossa vida, nosso apartamento. Aqui, no Japão, ou em qualquer lugar. Talvez apenas a lembrança do maior amor de que nos permitiram desfrutar.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Desejo


Felicidade é desejo. Desejo de quê? De amar, de querer bem, de estar com alguém… E existe a felicidade plena? Ao meu ver, ninguém é feliz por completo. Às vezes, sentimo-nos tão extasiados, que costumamos dizer que somos as pessoas mais felizes do mundo. Mas quem vai dizer que num dia cinza nunca se sentiu um tantinho triste? No meio de toda a atmosfera favorável, há sempre uma falha. Dentre as cores de um belo jardim, há sempre uma flor a morrer… Qual então é a nossa missão? Lutar incondicionalmente para atingir uma verdade desconhecida e, talvez, inalcançável? Enquanto isso, buscamos sinônimos ao longo do caminho. Rimos com amigos, dançamos com as músicas, idealizamos alguém para amar… Caímos, levantamos, e nunca nos cansamos de procurar. 

sábado, 3 de março de 2012

Caminho

          Engraçado é que você sempre se esquiva quando não deveria. Por que tanto medo de tentar ser feliz comigo, meu amor? Será que é tão difícil assim para você ser sincero em relação a nós dois? Por favor, só volte se realmente tiver a intenção de ficar. Porque eu, sinceramente, estou cansada de juntar os mil pedacinhos do que de meu coração restou. E sabe quem é o culpado disso tudo? Você. Porque você destruiu tudo o que tínhamos quando me deixou. Você se foi e levou consigo a minha felicidade, o meu sorriso. E agora, o que é eu que faço sem você? O que é que eu faço sem seus braços ao redor de minha cintura, sem sua boca na minha, seus os seus olhos nos meus? Depois de tanto tempo, eu já estava conseguindo me reerguer. Afinal, não faz mais sentido para mim deixar a vida passar esperando você voltar. Mas aí você vem, diz que me ama e que nunca me esqueceu. E que se pudesse voltar atrás, faria tudo diferente. Por que é que a gente não tenta recomeçar, então? Há um futuro lindo pela frente para nós, eu sei. Mas peço-lhe novamente: por favor, não me faça sofrer. Volte e deixe tudo mais lindo. E prometa - de verdade - não partir novamente.
          Sem você, já não sei mais o que sou, nem quem sou. Só queria que você estivesse aqui para me proteger dos meus medos e enxugar minhas lágrimas de saudade. Por que é que você não sai da minha mente, hein? Diga, diga que para você também é assim. Diga que ainda sente minha falta, que deseja o meu corpo no seu. Prove-me que essas palavras são reais, e esteja comigo enquanto puder. Ouvi dizer que o amor nunca acaba, meu bem. Ele dura… Ele muda, se transforma. E nós dois, o que é que vamos ser? Vamos renascer juntos? Ou bifurcaremos nossos caminhos? A estrada é longa, eu sei… Mas, se estiver comigo, com certeza ela se tornará muito melhor.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Tarde

Tumblr_ly9p20mepm1rncq8go1_500_largeHoje chorei por você. Chorei pela distância que nos separa, chorei por acreditar no nosso amor. Chorei porque a esperança de estarmos juntos ainda vive em mim. E a cada vez que respiro, é em você que eu penso. Toda noite você é o protagonista de meus sonhos. Todo dia, você é o motivo pelo qual sorrio e tenho forças para seguir em frente. Mas eu me cansei, sabe? Cansei de ser a idiota da história. Cansei de ser a boba que corre atrás de você, sempre, enquanto você nem dá bola. Eu me preocupando todos os dias, querendo saber de cada segundo de sua vida, e você aí, vivendo-a como se eu não existisse, como se não se importasse com o que eu sinto. A sua indiferença dói, e eu cansei de ser o seu tapetinho. Cansei de fazer juras de amor ao vento. Meus versos errados se aborreceram de tanto ecoar sem ter ninguém para ouvi-los. E agora, que eu finjo não me importar, você diz sentir minha falta? E agora que percebe que está me perdendo, resolve dar valor? Que amor é esse, que chega a ponto de ser questionado? Que sentimento podre é esse, que só se revela no final? Pra mim já chega. É horrível ter que lhe dizer isso, mas estou indo embora. Estou indo atrás de alguém que se dedique a mim de verdade. Porque eu não mereço isso. Eu não suporto mais ter que mendigar a sua atenção. Acho que você não sabe como é isso, afinal, eu sempre estive aos seus pés, disponível, a qualquer hora do dia. Falha minha ter lhe acostumado mal. Mas as pessoas erram, não é? Aconteceu. E dessa vez, o erro foi meu, por amar-lhe demais, querer-lhe demais. Não sei se isso lhe magoa tanto quanto a mim. Entenda, tenho que partir. Você não soube dar valor a todo amor que eu lhe dei, e sinceramente acho que agora é um pouco tarde demais. Ouvi dizer que um amor do passado é como um jardim… Sempre é possível que volte a florescer. Mas acho que nosso jardim não foi cuidado como deveria. Afinal, a gente acaba colhendo o que plantou. E esse é o resultado da sua falta de atenção. Quando a gente erra, há sempre uma segunda chance. Mas se você quis permanecer no erro, desculpe-me, foi uma escolha sua. Estou lhe deixando, sem mágoas ou ressentimentos. Vou de peito aberto, para onde o destino quiser me levar. Sei que tem algo bom guardado para mim em algum outro lugar. Amor, digo-lhe agora adeus. Seu peito já não é mais minha morada. É triste dizer, mas você me perdeu. Vou buscar a paz que preciso em outra alvorada.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Futuro

          Amor, amor, amor… O que é isso que tanto falam? Amar é se dedicar e se entregar a alguém, sem receber nada em troca? Amor é esperar por tanto tempo, pra depois morrer na praia? Amar é fazer planos e criar um mundo baseado em uma pessoa, para depois descobrir que ela não se importa? Desculpa, mas cansei de ser assim. Cansei de me apegar demais. Enfadei-me de promessas não cumpridas. E lágrimas, e lágrimas, e saudade; muita saudade. Há quanto tempo eu venho me mantendo forte, esperando por você… Acreditando num sentimento que não sei por qual motivo você diz sentir. Eu posso ser tudo, menos idiota, sabe?
          Eu suportei a distância, não me importei com o tempo. E esperaria por você mais uma eternidade se preciso fosse. Mas ver você dizendo que ama outra? Ah, isso já é demais para mim. É a gota d’água. Acho que meu coração não merece isso. Eu não mereço. Acima de tudo, eu tenho que gostar de mim. Se você não sabe dar valor ao meu jeito de amar – por mais torto que ele seja, você sabe muito bem de todas as loucuras que fiz por nós, passando por cima de tudo e de todos, desafiando quem ousasse cruzar o nosso caminho –, querido, eu sei me dar valor. Porque eu sei das noites que passei em claro, chorando por você. Eu sei como a saudade esmagou meu peito, deixando em frangalhos todo e qualquer tipo de sentimento.
          Eu sei o quando dói esperar. Mas eu sempre fui muito paciente. Nunca deixei que a incerteza em relação ao que você sentia atrapalhasse o meu afeto.  Passei todo esse tempo tendo esperanças. Eu sei que memórias nunca morrem.Sei também que o que sinto por você, de verdade, nunca vai passar. Mas, amor, entenda-me: preciso seguir a minha vida sem você. Não sei por que meti em minha cabeça que não existe felicidade sem a sua presença. É que, por tanto tempo, me senti tão segura e acolhida em seus braços. Mas hoje percebo que você tem uma nova vida, e eu já não faço mais parte dela.Vi você crescer, mudar… E junto a isso, eu amadureci também. Entendi o verdadeiro valor que algumas pessoas têm em minha vida; e o que significo para elas também.
        Sinceramente? Não quero guardar mágoas ou rancor. Lembro-me de tudo aquilo que vivemos como um tempo bom, muito bom. O melhor de minha vida até agora, quem sabe. Mas eu tenho um futuro pela frente, e não sei se ele inclui você. Não sei se eu teria coragem de largar tudo e ir de encontro a seus braços… Não mais. Com o tempo, fui me tornando fria, sim. Mas quem sabe aquela garotinha boba e apaixonada nunca tenha morrido. Ela só tem medo de se ferir novamente. Ela tem medo de se entregar e mais uma vez sair com o coração machucado. Sendo assim, vou tentando ser mais realista. Vou pensando mais em mim do que nos outros. Vou deixando de fantasiar e criar mundos perfeitos onde eu sou a princesa e, você, meu príncipe. Nessas minhas histórias, a gente sempre tinha um final feliz.
         Muita gente me diz que amor não é tudo nessa vida; e eu estou começando a acreditar. Disseram-me também que só é amor aquilo que nos faz bem, nada que nos faça sofrer. Mas quem irá dizer que um dia você não me fez bem? Quem ousaria falar que você nunca foi o meu motivo para sorrir? Brigas, tivemos sim. Que casal apaixonado não tem? Mas cada um tem o seu limite, e eu acho que já ultrapassei o meu. Vou tentar seguir adiante agora, eu mereço e preciso. E bem, de agora para frente… Só o tempo vai dizer o que será de nós. O mundo dá voltas, e quem sabe num dia qualquer desses, a gente não se encontre numa esquina por aí. Pra bater um papo, tomar um café. Você me contaria dos seus filhos e da sua nova família; e eu lhe diria como foi aprender que posso sim ser feliz sem você.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Reviver

Decidi seguir em frente sem olhar para trás. Pois tudo aquilo que ansiei já não me apetece mais. Sonhos perdidos, promessas desfeitas, lágrimas e dor. Não sei se tenho muito a dizer. No fundo, é gratificante saber que você cresceu, mudou, é uma nova pessoa. Confesso, é triste perceber que já não precisa mais de minha presença em sua vida, como um dia eu tanto precisei da sua. Não sei bem como será de agora em diante. Estranho imaginar não ter-lhe mais ao meu lado. Ao mesmo tempo, sinto-me feliz por finalmente entender que posso construir uma nova história sem você. Que eu lute, que eu chore, que eu caia quantas vezes preciso for. Mas eu sim posso dizer que entendi uma pouca parte disto que chamamos de amor. Quero lembrar de nós sempre com um sorriso no rosto, por pensar que ao menos um dia eu fui aquela a quem seu coração chamou. E lembre-se sempre de mim como aquela menininha que um dia repousou em seus braços, e encontrou em seu amor o refúgio e abrigo para todos os medos. Sabe, creio que agora sou uma mulher. Decidida… É assim que deve ser. Escolhi não me esconder atrás de uma máscara de vítima. Resolvi dar a cara a tapa mais uma vez. E viver… Continuar, sem ter medo do que enfrentarei. Não sei se devo dizer que este é nosso ponto final. Não quero também criar falsas expectativas sobre um futuro nosso ou sobre este estranho sentimento que chamamos de amor. Senti-lo novamente por outro alguém? Não sei. Cedo demais para dizê-lo. Sei que o novo caminho pela frente já não me amedronta. Aprendi a ser forte e a sorrir. E não importa quantas vezes eu caia; eu sempre me levantarei. Mesmo que ferida, eu estarei de pé. Afinal, sempre foi assim: cada um por si, e apenas eu por mim.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Insubstituível

Não me faça promessas se não puder cumpri-las. Porque eu estou cansada de pessoas que vêm e vão de minha vida, deixando danos irreparáveis. Acredite, a cada ‘adeus’ que recebo, é um pedacinho de mim que vai embora. E esse vazio que fica em meu coração, ninguém preenche. É tanta falsidade, tanta gente tentando me machucar. Tanta gente que não se importa de verdade com o que a gente sente. E eu ainda saio de monstro na história... Com o tempo, infelizmente – ou felizmente –, tenho aprendido a ser fria, e tenho me preocupado muito menos com o que os outros pensam ou dizem por aí. Existem pessoas que um dia representaram o mundo pra mim, e que hoje fazem questão de não ser nada. Porque eu simplesmente cansei de correr atrás de quem não está nem aí para mim.  Então eu me pergunto: e as memórias, aonde vão parar? Lembranças podem ser apagadas assim? Creio que eu não tenha sido a única a sair machucada dessa história. Mas se dói, por que não deixar essa ferida se curar? Por que não deixar o orgulho de lado, e tentar recomeçar? Se realmente era importante, por que não lutar e insistir? Eu aprendi a nunca desistir dos meus sonhos. Mas chega uma hora que a gente simplesmente cansa. Cansa de ser tratada mal, cansa de sofrer cada vez mais por coisas e pessoas que não valem tanto à pena.  Cansa de se iludir, pensando que o amanhã será melhor, enquanto a situação só piora. Mas, no fundo, eu não esqueci. E nunca vou me esquecer. Porque às vezes, mesmo sendo por momentos passageiros, pessoas entram em nossas vidas para mudar algo, para fazer a diferença. E eu não vou ser ingrata... Só tenho a agradecer pelos bons momentos que vivi. Mesmo com todas as dores e lágrimas, tiveram sorrisos. E mesmo com todas as palavras, afiadas como lâminas, tiveram abraços e carinhos que serão sempre insubstituíveis.